Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

Sema pede ao presidente do Ibama integração de dados para novo sistema florestal em Mato Grosso

Sema pede ao presidente do Ibama integração de dados para novo sistema florestal em Mato Grosso
Compartilhe!

A secretaria estadual de Meio Ambiente (Sema) solicitou ao presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), Rodrigo Mendonça, celeridade na integração dos dados do novo Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora 2.0) com o sistema federal DOF Rastreabilidade.

A agenda ocorreu ontem, na sede do órgão ambiental federal, em Brasília (DF). Segundo a Sema, a integração dos dados é necessária para a fase final de implementação do sistema estadual e garantir a rastreabilidade da madeira.

“Mato Grosso está avançado na implantação do sistema e necessita de urgência na resolução de algumas questões técnicas que impedem a integração das informações de Mato Grosso com o sistema federal. A rastreabilidade da madeira é uma pauta prioritária para o Estado”, destaca a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Conforme o presidente do Ibama, a intenção do órgão federal é colaborar para melhoria da rastreabilidade no país. “Vamos fazer a integração o mais rápido que pudermos e depois realizaremos outros ajustes que forem necessários ao bom funcionamento do sistema”, afirma.

De acordo com a Sema, há, ainda, outros ajustes técnicos que devem ser analisados, como, por exemplo, a conferência automática de notas fiscais inseridas no sistema estadual, que não acontece no federal. Ainda, o prazo da guia florestal de Mato Grosso que é de 15 dias, enquanto a federal é de apenas 7 dias.

A Sema-MT também propôs a oferta de capacitação aos técnicos do Ibama sobre como operar o Sisflora 2,0 e as principais diferenças entre o sistema federal e o estadual. Será criado um grupo de trabalho para discutir os detalhes técnicos levantados pelo órgão ambiental estadual.

Mato Grosso possui um sistema próprio de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais que atende às especificidades do setor florestal do estado. Para a Sema, o Sisflora 2.0 representa o avanço do sistema anterior, com o objetivo de implementar a rastreabilidade da madeira.

“A cadeia de custódia vai trazer segurança, controle e monitoramento do volume autorizado na exploração florestal e do volume efetivo transportado. Com a rastreabilidade, a madeira chega ao consumidor final com a garantia de que foi retirada de forma legal da natureza”, afirma a secretaria.

O novo sistema estadual já está no ar e em fase de migração de informações. Hoje, não é mais possível utilizar o sistema estadual anterior, novos cadastros devem ser feitos diretamente no Sisflora 2.0, por meio do site da secretaria estadual de Meio Ambiente.

Fonte: Só Notícias
Artigo Original em > www.sonoticias.com.br

LIVE OFFLINE
track image
Loading...