Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

Dois secretários em Sorriso pedem afastamentos por causa de funcionários fantasmas e pagamentos suspeitos

Dois secretários em Sorriso pedem afastamentos por causa de funcionários fantasmas e pagamentos suspeitos
Compartilhe!

Os secretários de Cidades, Ednilson Oliveira e de Saúde, Luís Fábio Marchioro pediram, hoje, afastamentos dos cargos para que o processo de investigação de supostos funcionários fantasmas nas duas secretarias “possa transcorrer com ainda mais transparência, evitando, ainda que indiretamente, qualquer ação possa, por ventura, atrapalhar ou retardar a análise minuciosa dos fatos”. A informação foi confirmada, há pouco, pela prefeitura. O secretário de Administração, Estevam Calvo, passa a ser interventor nas duas secretarias.

“A prefeitura destaca o trabalho desenvolvido pelos gestores à frente de suas pastas, reforça que aceitou os pedidos de afastamento para imprimir mais transparência ao processo e que confia na plena apuração de todos os fatos e consequente punição de todos os envolvidos”,  expôs, em nota.

A prefeitura apura se houve contratação de funcionários ‘fantasmas’ por meio de cooperativa desde 2019 na secretaria municipal de Cidade, além de supostos pagamentos duplicados por procedimentos cirúrgicos envolvendo a secretaria de Saúde.

Estevan Calvo informou, anteriormente, que esse mês, foi feito  “levantamento quanto aos colaboradores de serviços terceirizados e a possibilidade da secretaria de Cidade haver seis colaboradores que não estavam trabalhando no município de Sorriso. Apuramos os fatos e chegamos à informação que havia uma suspeita forte”, explicou, acrescentando que em apuração preliminar foi possível apontar desvio de pelo menos R$ 500 mil.

Calvo apontou envolvimento de um servidor público, que confessou ter induzido o secretário sobre os supostos trabalhadores. “O servidor público era o fiscal do contrato, então era os olhos do secretário para cuidar desses contratos e ele atestava que havia esses seis colaboradores trabalhando. Em razão disso, havia a informação errônea e o secretário assinava e ele de alguma forma retirava esse dinheiro. As primeiras informações que obtivemos através do holerite é que alguns desses valores era depositado na conta da esposa dele. O próprio fiscal afirmou que induzia o secretário ao erro. O secretário questionava se essas pessoas estavam trabalhando e ele falava que estava”, apontou o secretário de Administração.

Ele disse ainda que a “secretaria de Fazenda fez o levantamento de alguns pagamentos voltados a Saúde e nesses pagamentos foram encontradas algumas divergências. Está sendo apurado e vamos abrir um processo administrativo. Caso seja constatada a participação de servidores públicos municipais também iremos imediatamente afastar quem está envolvido. A princípio, chegou para mim que seria de cirurgias e procedimentos realizados fora do município”.

Semana passada, o prefeito Ari Lafin foi ao Ministério Público e pediu a apuração dos casos.

A câmara municipal cogita abertura de CPI para também apurar as duas situações.

Ednilson Oliveira, que é servidor de carreira desde 2003, reiterou através da assessoria que segue à disposição da “Administração Municipal, às ordens para esclarecimentos, e que crê na plena apuração de todos os fatos, tanto interna quanto externamente” e “ destacou o trabalho da equipe da Semcid e afirmou que espera que o fato sirva para ampliar ainda mais os mecanismos de controle e evitar que situações assim voltem a ocorrer”

Luís Fábio também se manifestou que está a disposição para contribuir nos esclarecimentos. Ex-vereador, ex-presidente da câmara, foi secretário de Governo de 2017 a 2018, quando assumiu a secretaria de Saúde.

Em instantes mais detalhes

Fonte: Só Notícias
Artigo Original em > www.sonoticias.com.br

LIVE OFFLINE
track image
Loading...